Viver para o Senhor

PETER AMSTERDAM

“De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.”—2 Coríntios 5:20

Como cristãos, somo chamados a colocar nossa fé em ação e estender as mãos para os desafortunados, oprimidos, carentes, cansados e de coração atribulado, como se o estivéssemos fazendo para Jesus. Jesus veio para servir, e somos chamados a fazer o mesmo. Servir aqueles em necessidade é uma bela maneira de expressar nossa fé. Os desfavorecidos, os necessitados, os famintos precisam saber que são amados, importantes e se sentir valorizados. São importantes para Deus e, por sermos cristãos, devem ser importantes para nós também.

Trabalhar em orfanatos, visitar os doentes, ministrar aos prisioneiros, cavar poços, ensinar aos desfavorecidos, participar em esforços de atendimento médico, defender os oprimidos são algumas de muitas formas de atuação para tornar o mundo um lugar melhor e trazer o espírito de Jesus para a vida das pessoas em necessidade. Nessas atividades, nem sempre é possível falar sobre nossa fé, mas nós a estamos praticando ao demonstrar o amor de Deus, traduzindo em ações Seu cuidado e preocupação. Santo Agostinho disse: “Qual é a aparência do amor? Tem mãos para ajudar os outros. Tem pés que se apressam para socorrer os pobres e necessitados. Tem olhos para ver a miséria e a privação. Tem ouvidos para escutar os gemidos e as tristezas do ser humano. Assim é o amor.”

Praticar a fé e seguir os passos de Jesus significa traduzir a fé em ação, importar-se pelos outros de todas as formas possíveis e fazê-lo para o Senhor. Buscamos os pobres, os aflitos, os que precisam do bálsamo de cura de Deus e de esperança para o futuro. Procuramos aqueles que talvez sejam saudáveis, ricos e sábios, mas se veem cansados, com problemas e perdidos. Somos sensíveis às dores daqueles que são perseguidos, excluídos ou forçados a condições sub-humanas de vida contra a sua vontade.

Independentemente das circunstâncias, tentamos identificar a melhor maneira de ser um exemplo do amor de Deus. É parte de ser a luz do mundo e o sal da terra, para fazer brilhar a luz do amor de Deus e da verdade sobre aqueles que precisam e demonstrar o amor de Deus em ação.

Quando vivemos nosso cristianismo, colocando a fé em ação e seguindo o espírito de Deus, tentamos ser como Jesus e refletir Seus atributos. Isso gera misericórdia, compaixão e um coração sensível às pessoas —capaz de compreender suas necessidades físicas e espirituais. Isso nos motiva a fazer o que pudermos para melhorar suas vidas, tanto espiritualmente quanto praticamente. Vivemos como Jesus viveu. Seguimos o Mestre.

Um aspecto lindo de viver “como ao Senhor” está nas ações invisíveis ou ocultas, coisas das quais a maioria das pessoas nunca vai saber: quando você financia uma equipe missionária em um país distante; dá algo a alguém que precisa mais do que você; sacrifica seu precioso tempo livre para interceder pelas necessidades de alguém — alguém que talvez nem saiba que você está orando por ele. Fazemos estas coisas como ao Senhor. Se você não estiver em condições de ir para a linha de frente no trabalho de missão, pode estar na linha de frente pela oração. Pode orar pelas almas das pessoas, pelas suas vidas. Pode interceder em oração pelos seus ministérios e suas necessidades.

O que fazemos para os outros — nosso serviço, nossas orações, nossas doações —, fazemos para Jesus. Não fazemos isso pelo reconhecimento, por ganho monetário, ou para crescer em status social. Fazemos tudo o que fazemos, em qualquer ministério, para glorificar o Senhor. Isso é parte de viver “como para Jesus.”

2 Coríntios 5:20 diz: “Somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio.” Essa é uma afirmação e tanto. 

Somos os enviados oficiais e representantes de Cristo. Somos cidadãos do céu e representamos o Reino de Deus. Estamos em missão temporária na terra para representar nosso país, nosso governante. É uma grande honra ser um embaixador e devemos agir de forma compatível a essa missão.

Um dos propósitos de um embaixador é trabalhar pela paz, promover a paz. Representamos o Príncipe da Paz e temos a tarefa de dar Sua mensagem ao mundo. E que mensagem é essa? A segunda metade do versículo apresenta claramente a mensagem de que devemos dar: “por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus.”

Há milhões e até bilhões de pessoas que não conhecem Deus pessoalmente, que nunca ouviram falar de Jesus e que nada sabem a respeito da dádiva da salvação e do tesouro da vida eterna que os aguarda, bastando que aceitem Jesus como Salvador. Nosso privilégio é poder compartilhar essa boa notícia, apresentar às pessoas a Jesus, para trazer o maior número de pessoas possível conosco para o céu.

Cada um de nós pode ser um embaixador de Cristo ativo e digno. Representamos não só um país lindo e maravilhoso. Representamos o reino mais encantador, espetacular em todo o universo — o reino de Deus. É verdadeiramente um privilégio servir como um dos embaixadores de Deus, pelo que podemos e devemos transmitir o amor, o cuidado e a compaixão de Jesus em tudo que fizermos, seja algo pequeno ou grande.  Jesus mesmo deu o maior exemplo de todos, “tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.” (Filipenses 2:7).

Madre Teresa disse: “Vejo Jesus em cada ser humano. Digo a mim mesma: Este é Jesus com fome, devo alimentá-lo; este é Jesus com lepra ou gangrena, devo lavá-lo e cuidar dele. Sirvo porque amo Jesus.”

Nosso amor nos motiva a servir os outros em Seu nome. Dá-nos o desejo de ser Seus embaixadores em qualquer situação em que nos encontremos. Obriga-nos a permitir que Ele nos use para ajudar aqueles em necessidade, para dar esperança e cura para aqueles com corações partidos.

Podemos ser Suas mãos, para ajudar e tocar; Sua boca, para falar a verdade, levar ânimo e esperança; Seus olhos, para transmitir compaixão; Seus pés, para caminhar ao lado de uma alma cansada; e Seus braços para ajudar a carregar seu fardo pesado. Fazemos isso por Ele, como se fosse a Ele, porque devemos tentar fazer o que Ele faria se estivesse aqui. Temos o exemplo registrado da vida de Jesus na terra que nos mostra quanto Ele nos amava — Suas criações. Lemos na Bíblia sobre a compaixão que Ele demonstrou no relacionamento com as pessoas do Seu dia-a-dia. Podemos ver como se envolveu quando conversava com Seus discípulos e com outros

Jesus nos confiou a responsabilidade de transmitir Seu amor incondicional, pessoal e abrangente para nosso semelhante, para aqueles com quem dividimos o planeta hoje. Então, vamos fazer o melhor ao nosso alcance. Sejamos como Jesus. Vamos amar como Jesus. Vamos abrir nossos corações para os outros em nome de Jesus. Vamos ser bons instrumentos para Deus curar e salvar este mundo carente e sofrido.

O que quer que façamos, em palavra ou em obra, façamos como se fosse a Jesus, para Sua glória. 

Se quiser mais artigos de Peter Amsterdam, visite o Espaço dos Diretores.