O Homem do Amor

A FAMÍLIA INTERNACIONAL

Jesus não é um homem comum, Ele também não é nenhum grande mestre, rabi, guru, nem mesmo um profeta. De certo modo, Ele é todas essas coisas, mas muito mais. Pois, ao contrário dos outros grandes mestres religiosos que vieram antes Dele – e dos que vieram após Ele – Jesus não apenas falou sobre Amor e falou sobre Deus, mas Ele era o Amor e o Filho de Deus, de modo que sabia realmente do que estava falando.

A Bíblia nos diz que “Deus é um espírito”, e que “Deus é Amor”. (João 4:24; 1João 4:8). Deus é o Espírito de Amor Todo-Poderoso que criou todas as coisas. Ele é o poder do Universo, tão grande, elevado e poderoso que está acima e além da nossa limitada compreensão humana.

Deus é todo-poderoso, sabe todas as coisas e está em toda a parte. E essa idéia e conceito são difíceis demais para nós entendermos. Mas Ele nos ama muito, e queria que viéssemos a conhecê-lO e amá-lO. Então, para mostrar o Seu Amor e para nos ajudar a entendê-lO, Ele enviou o Seu único Filho, Jesus Cristo, para a Terra, na forma humana, para que pudéssemos ver em Jesus como Deus é. Jesus trouxe Deus ao nosso modesto nível humano de percepção.

Imagine só! Deus enviou o Seu próprio Filho, o próprio Senhor dos Céus, o Mestre do Universo para a Terra para se tornar um de nós. Ele foi concebido por milagre no ventre de uma humilde e simples virgem de nome Maria e tomou a forma física humana, tornando-se exatamente como nós. Portanto, Ele era o Filho do Homem, bem como o Filho de Deus.

Fazendo o bem a todos


Jesus não só se adaptou à nossa forma humana, mas também se conformou ao nosso modo de vida, nossos costumes, nossa linguagem, modo de vestir e trabalhar, para que pudesse nos entender melhor e se comunicar conosco no nível tão simples da nossa compreensão humana. Tornou-se um cidadão deste mundo, membro da humanidade e homem de carne e osso, para que pudesse chegar até nós com o Seu Amor, provar para nós a Sua compaixão e consideração, ajudando-nos a entender a Sua Mensagem em termos simples e infantis que pudéssemos compreender.

Ele desceu e viveu aqui conosco, trabalhou como nós, teve que dormir como nós, comer como nós e fazer tudo que temos de fazer. Houve ocasiões quando Se sentiu fatigado, cansado e com os pés doloridos, quando teve fome e sede, ocasiões quando ficou triste e desanimado. Tornou-Se como um de nós e, como diz a Bíblia, “foi tentado em tudo como nós somos, mas sem pecar.” – Hebreus 4:15.

Jesus passou o Seu tempo aqui andando por todo lugar fazendo o bem. Alimentando as pessoas que tinham fome, sarando as que estavam doentes, animando e consolando as que estavam tristes e deprimidas. Ele amou todo mundo, até os mais pobres dos pobres e aqueles que todos os outros desprezavam.

Ele nunca teve nenhum tipo de edifício religioso, uma denominação nem uma congregação formal. Ele simplesmente saía, conhecia as pessoas na rua, na praia, no mercado – onde pudesse alcançá-las – e dava Sua mensagem de amor para todos os que quisessem ouvir. Ele inclusive fez amizade com os membros mais desprezados e rejeitados da sociedade: os cobradores de impostos, os bêbados, as prostitutas e os pecadores.

A Sua religião de amor era tão simples que Ele disse: “Você deve ser como uma criancinha para recebê-la.” (Mateus 18:3). Ele nunca pregou nem ensinou nenhuma cerimônia complicada nem regras difíceis. Ele só pregou e mostrou Amor (Mateus 22:36-40).

Ele não tinha de morrer


Mas nem todos gostaram do que Jesus disse e fez. Na verdade, os líderes religiosos, ricos e poderosos da Sua época ficaram furiosos com Ele porque os Seus ensinamentos minavam a autoridade deles, pois libertavam as pessoas das suas tradições e controle ditatorial. Quanto mais popularidade Jesus tinha entre o povo, mais inveja e medo tinham os líderes hipócritas da religião organizada, que se julgavam mais justos. Os Seus inimigos farisaicos finalmente forçaram as autoridades a prender, condenar e cruelmente crucificá-lO!

Jesus não tinha de morrer naquela cruz. Ele disse: “A Mim é dado todo o poder no Céu e na Terra” (Mateus 28:18). Ele era o Filho de Deus, e todos os poderes do Universo estavam à sua disposição, em Suas mãos. Ele disse para os Seus capturadores: “Nenhuma autoridade terias contra mim, se de cima não te fosse dada… Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e ele me mandaria imediatamente mais de doze legiões de anjos?” (João 19:11; Mateus 26:53). Ele poderia ter invocado todas as forças do Céu para massacrar os Seus inimigos, conquistar Roma e dominar o Mundo e forçar todas as pessoas a se ajoelharem e O adorarem ali mesmo! Mas Ele decidiu dar a Sua vida por você e por mim.

Por que Ele morreu?


Por que o Rei dos reis, o Senhor do Universo, Deus em carne, se deixaria ser capturado, falsamente acusado, julgado e condenado, chicoteado, despido e pregado a uma cruz como um criminoso qualquer? A resposta é simples: porque Ele amava você e a mim.

Todos nós, algumas vezes, fazemos coisas erradas, agimos com falta de amor e somos mal-educados com os outros. A Bíblia diz: “Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3:23). A pior coisa sobre os nossos pecados é que nos separam e nos mantêm afastados de Deus, pois Ele não tem absolutamente nenhum pecado e é perfeito. Para nos trazer para Deus, Jesus, o Filho de Deus, que jamais pecou, tomou sobre Si os pecados de toda a humanidade. Ele recebeu o castigo pelos nossos pecados e sofreu a horrível dor da morte por crucificação. Morreu como morre um pecador para que, pelo Seu sacrifício, pudéssemos encontrar perdão e sermos livres dos nossos pecados.

A morte é derrotada


Três dias depois de Seu corpo inerte ser enterrado, aconteceu algo que chocou os Seus inimigos e provou a todos os Seus seguidores que Ele realmente era o Filho de Deus: Ele ressuscitou dos mortos, vitorioso sobre a morte e o Inferno para sempre!

Após a Sua ressurreição, apareceu pessoalmente para literalmente centenas dos Seus seguidores, animando-os, dando-lhes forças e consolando-os. Ele lhes disse que ia voltar para o Seu Pai Celestial, mas que estaria sempre com eles em espírito, viveria em seus corações para sempre. Ele também fez aos Seus seguidores uma promessa maravilhosa, de que um dia: “Eu voltarei” (João 14:3). Mas desta vez, não como um bebezinho indefeso numa manjedoura, mas como o Regente poderoso e o grande Rei que Ele é. Ele disse: “O Filho do Homem virá nas nuvens com poder e grande majestade” (Lucas 21:27).

Você pode Conhecê-lO


Você gostaria de ficar sabendo com certeza se esse homem tão amoroso, Jesus Cristo, é realmente o Filho de Deus, o caminho para a salvação e para a vida eterna? Tudo que você tem de fazer é acreditar que Jesus morreu por você, aceitá-lO e a Sua dádiva de perdão pelos seus pecados. Com isso, você será perdoado e reintegrado à convivência com Deus, nosso Pai celestial, e, ao morrer, viverá com Ele para sempre no Céu. Você pode recebê-lO e a Sua salvação fazendo, com sinceridade, uma oração como esta:

Querido Jesus, acredito que Você é o Filho de Deus, que morreu por mim e que ressuscitou. Preciso que Seu amor me limpe dos meus erros e pecados. Preciso que Sua luz afaste todas as trevas. Preciso que Sua paz preencha e satisfaça meu coração. Agora, abro a porta do meu coração e Lhe peço Jesus, para por favor, entrar na minha vida e me dar a Sua dádiva gratuita da vida eterna. Obrigado por sofrer por todos os meus erros, por atender à minha oração e me perdoar. Amém.