Semeadores e Ceifeiros

MARIA FONTAINE

“De modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho.”—1 Coríntios 3:7–81

O Senhor nos chamou para sermos testemunhas fieis, a tempo e fora de tempo, quer as pessoas aceitem o Evangelho, quer não, quer esbocem reação quer não. Precisamos ter em mente que alguns dos grandes missionários como Hudson Taylor, Adoniram Judson, e dezenas de outros trabalharam durante anos até conseguirem ganhar sua primeira alma para o Senhor. Eles foram para terras pagãs onde falar de Jesus era considerado anátema. Era uma intrusão, e Ele era considerado um Deus estranho que estava ali para lhes fazer mal em vez de bem, para perturbar seus costumes e desarraigar suas tradições. Eles dificultavam a vida dos missionários o máximo possível.

Aqueles queridos missionários passaram por um monte de dificuldades horríveis, perseguição, doenças, e até morte de parentes e entes queridos. Eles sofreram decepções; pessoas que pensavam ter ganho se tornaram inimigas e os traíram. Cuspiram no seu rosto e os rejeitaram ano após ano, e alguns deles não ganharam uma única alma durante anos! Por isso, quando ficar desencorajado achando que o seu testemunho não está gerando os resultados esperados, lembre-se desses queridos homens e mulheres de Deus que labutaram anos a fio até fazerem algum progresso no que se refere a ganhar uma única alma para o Senhor.

Mesmo que não veja os resultados de imediato, está alcançando resultados. Deus prometeu que a Sua Palavra não voltaria vazia, mas realizaria o Seu propósito.2 Parte dos resultados nós só veremos ao chegarmos ao Céu, porque nem sempre ficamos sabendo o resultado das sementes que plantamos no coração de alguém, como e quando criarão raiz. Talvez a pessoa para quem testemunhamos acabe conhecendo o Senhor devido a alguma coisa que dissemos. Ou a nossa testificação surta efeito no coração da pessoa para deixá-la mais aberta e receptiva quando outros cristãos testemunharem para ela.

Nós não podemos esperar sempre ser os semeadores e os ceifeiros, porque o Senhor disse que alguns semeiam, outros regam, mas Deus dá o crescimento.3 Às vezes nós entramos no trabalho de outras pessoas e outras vezes outros entram no nosso. Às vezes nós ganhamos as almas que há muito tempo estão sendo preparadas, pessoas que talvez tenham passado toda a sua vida por coisas que o Senhor estava usando para levá-las pouco a pouco ao ponto de estarem dispostas a entregar suas vidas a Ele. E nós aparecemos nesse ponto e lhes perguntamos se querem receber Jesus, e elas aceitam. O Senhor nos coloca em contato com a pessoa nessa ocasião, depois dela ter passado por um longo período de preparação, e nós temos a chance de colher tudo o que foi semeado e regado por outros.

Às vezes entramos em cena em outra etapa do seu crescimento. Talvez cheguemos no princípio, sejamos os semeadores e plantemos a primeira semente. Ou quem sabe, talvez cheguemos no meio, e reguemos a semente que foi semeada no coração da pessoa por mais alguém. Nós esclarecemos mais alguma dúvida e lhe manifestamos um pouco mais do amor de Jesus, e isso vai continuar trabalhando no coração dessa pessoa, mesmo que não demonstre imediatamente como isso foi importante para ela. Talvez nunca mais voltemos a vê-la, mas a Palavra e o amor que demonstramos tenha efeito no seu coração e o Senhor use isso como mais um passo para levar essa pessoa a Ele. A sua salvação será em parte o resultado da nossa fidelidade em demonstrar o amor de Deus e lhe dar a Sua Mensagem.

A Salvação de uma pessoa é o resultado de muitas coisas que o Senhor já fez e das muitas maneiras como já trabalhou na vida dela. Talvez nós sejamos apenas uma pessoa, numa série de pessoas que tentaram testemunhar para ela. Nós desempenhamos um pequeno papel na sua salvação, juntamente com outros que também desempenharam um papel em prepará-la, sendo talvez um exemplo de amor e interesse sincero, compartilhando a Palavra pessoalmente ou lhe dando um folheto, um pôster ou pregando num programa de TV cristão ao qual a pessoa assistiu. Em outros casos, talvez nunca cristão algum tenha testemunhado para ela, mas o Senhor, de várias maneiras, a tenha guiado a buscar a verdade. É claro que nos sentimos especiais quando sabemos que alguém entregou o coração a Jesus. Mas é nosso dever pregar e ser testemunhas, quer as pessoas estejam preparadas para receber o Senhor naquele momento, quer nunca estejam.

É claro que ficamos mais felizes quando alguém fica salvo, e é razão de grande alegria saber que a pessoa está a salvo no Reino. Mas quer a pessoa tome a decisão de receber Jesus e se tornar filha de Deus, quer não, o nosso trabalho é testemunhar da maneira que Ele nos mostrar, e compartilhar o Seu amor, refletir a Sua luz onde quer que estejamos.

O Espírito é quem faz a obra no coração das pessoas. A nossa parte é fazer fielmente o que está ao nosso alcance, na tentativa de ganhar a pessoa para o Senhor. E isso se faz por meio do testemunho e sendo um exemplo vivo da nossa fé. O resto fica por conta do Espírito Santo. Não importa se você é um ótimo orador ou pregador. A única coisa que importa é fazer a sua parte para compartilhar as Boas Novas e ser um exemplo vivo da sua fé. Se fizermos o que nos cabe, podemos ficar tranquilos sabendo que, em última análise, o Espírito Santo fará a obra de ganhar as almas para o Senhor.

Se quiser mais artigos de Maria Fontaine, visite o Espaço dos Diretores.


Notas de rodapé
  1. NVI.
  2. Isaías 55:11.
  3. Veja 1 Coríntios 3:6.