Pregar o Evangelho

PETER AMSTERDAM

Algumas das últimas palavras de Jesus antes de sua ascensão aos céus expressaram a missão de Seus discípulos: “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.”1

Fazia quarenta e três dias que Jesus havia morrido na cruz, e ressuscitado após três dias. Tudo para proporcionar ao ser humano a oportunidade de ser perdoado por seus pecados, se reconciliar com Deus e ter a vida eterna. Jesus havia feito a Sua parte, cumprido Sua missão na Terra. Sua morte e ressureição possibilitaram a salvação. Fez com que seja possível morarmos eternamente com Ele.

Durante os últimos anos de Sua vida, empregou uma estratégia dupla: pregar a mensagem do reino e da salvação, e encontrar um grupo central de pessoas que abraçariam Seus ensinamentos e auxiliariam a disseminar a Sua mensagem, a fazer discípulos. Após transmitir aos discípulos tudo que precisavam, Ele poderia ir embora e o Espírito Santo daria poder para os discípulos disseminarem a mensagem em todo o mundo.

Jesus passou os anos de ministério público pregando, ensinando e treinando. Após ser batizado por João Batista no rio Jordão e jejuar por 40 dias e 40 noites, Jesus foi morar na cidade de Cafarnaum na região da Galileia. A partir dali, conforme descrito no Evangelho de Marcos, Ele começou a “proclamar as boas novas de Deus. ‘O tempo é chegado’, dizia ele. ‘O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas.’”2

Jesus deixou claro que pregar o Evangelho era um dos motivos pelo qual estava na Terra: “Vamos para outro lugar, para os povoados vizinhos, para que também lá eu pregue. Foi para isso que eu vim.”3

Jesus foi enviado para pregar o Evangelho, e ensinou os discípulos a fazerem o mesmo. E os enviou a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos.”4 Jesus pregou o Evangelho, e com Seu exemplo ensinou o mesmo aos discípulos e proporcionou-lhes oportunidades de fazerem o mesmo.

Depois da Sua morte e ressurreição, Jesus lhes disse: “Assim como o Pai me enviou, eu os envio.”5 E pouco antes de ascender aos céus, Ele afirmou: “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra.”6 Alguns dias depois houve um derramamento do Espírito Santo e os primeiros discípulos passaram a pregar poderosamente o Evangelho em Jerusalém, e com o tempo em Israel, fora de Israel, e em todo o mundo.

É pregando o Evangelho que o cristianismo se propaga. É pela evangelização que a dádiva da salvação pela qual Jesus morreu é dada para outros. Se os primeiros discípulos não tivessem pregado o Evangelho e ensinado outras pessoas a fazerem o mesmo, o Evangelho poderia não ter sido conhecido. Deus nos deu algo maravilhoso que transforma vidas para a eternidade, e como discípulos temos a responsabilidade de dividi-lo com outras pessoas para proporcionar-lhes a mesma oportunidade.

Discípulos pregam com suas palavraspela forma que vivem, e pela manifestação do Espírito de Deus neles O Evangelho é pregado através das palavras dos discípulos, pelo seu exemplo de vida, e pela manifestação do Espírito de Deus em suas vidas.

Parte de pregar o Evangelho é viver de forma que as pessoas vejam a luz de Deus em você— a empatia, alegria, integridade que demonstra, são manifestações de Deus e do Seu amor em você. Você tem a luz da vida—Jesus—dentro de si, e se viver sua fé, sua vida será vista como algo que dá luz. Então, ao verem você e o que faz, as pessoas verão e sentirão o Espírito de Deus.

O Senhor nos pediu para vivermos de forma a transmitir Ele a outros, não só em palavras, mas por obras e em verdade. Claro que palavras são importantes, pois é com elas que se explica a salvação e se fala do amor de Jesus. Mas seus atos, boas obras, exemplo, amor, gentileza, e o desvelo para com as pessoas, tudo isso comprova que o que você diz sobre Jesus é verdade, porque as pessoas com as quais fala sentirão Ele emanando de você.

Discípulos estão prontos para testemunhar, orar e ministrar a qualquer pessoa que Deus coloca em seu caminho. 2 Timóteo 4:2 expressa esse conceito muito bem quando diz “pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo”. Insista em momentos oportunos e inoportunos, e seja persistente quer seja o momento favorável quer não. Não há como prever quando encontrará alguém que precisa da mensagem, mas quando acontecer, como discípulo, deve estar preparado para compartilhar a mensagem de Deus.

Jesus estava pronto para atender às necessidades em qualquer circunstância. Se deparou com diversas situações em que foi preciso agir imediatamente—para testemunhar, amar, cativar, curar e realizar um milagre. Ele correspondeu em cada uma delas.

Vemos alguns exemplos nas histórias da samaritana7, da boda em Canaã8, do jovem rico9, de Zaqueu10, Pilatos11, e do ladrão na cruz.12 Jesus estava pronto a tempo e fora do tempo, preparado para qualquer pessoa que o Pai colocasse em Seu caminho.

Jesus estendeu a mão ao Seu público-alvo, os pecadores que precisavam de salvação. As pessoas com as quais Se encontrava e comia nem sempre eram aquelas consideradas justas, ou aquelas que viviam “corretamente”. Ele estava disposto a ministrar aos rejeitados—os odiados cobradores de impostos, os pecadores, e os indignos. Foi criticado por Se associar a pessoas que viviam às margens da sociedade, mas deixou claro a importância de cada alma, independentemente de suas circunstâncias.

Para Deus cada pessoa é valiosa. Ele quer que todos recebam a salvação, e Se regozija quando isso acontece. Deus não faz acepção de pessoas. Todo o mundo, independentemente do seu status, é um pecador perante Ele e precisa de Seu amor e perdão. O trabalho do cristão não é julgar ou discriminar, é pregar o Evangelho a todos, especialmente àqueles que Ele coloca em seu caminho.

Estar preparado para compartilhar o Evangelho com as pessoas no seu caminho significa não limitar aqueles a quem testemunha, os que ensina ou guia no discipulado, às pessoas com as quais está acostumado ou com quem se sente confortável. Para o Senhor é igualmente importante alcançar a classe média e a alta, e também aqueles da parte mais baixa na escala econômica. Ele pode formar um discípulo de qualquer pessoa com o coração transformado que aprenda a amá-lO e deseje servir a Ele. Você deve testemunhar e ministrar a seja quem for que Deus colocar em seu caminho e que lhe pedir para alcançar. Inste a tempo e fora de tempo.

Pregar é algo que Jesus ensinou Seus discípulos a fazer. É a incumbência e a declaração de missão que Ele deixou com eles. Hoje os discípulos têm a mesma incumbência. Devemos deixar nossa luz brilhar para ministrarmos a quem Deus colocar em nosso caminho.

Se quiser mais artigos de Peter Amsterdam, visite o Espaço dos Diretores.


Notas de rodapé
  1. Marcos 16:15.
  2. Marcos 1:14–15.
  3. Lucas 4:43.
  4. Lucas 9:2.
  5. João 20:21–22.
  6. Atos 1:8.
  7. João 4:7.
  8. João 2:1–11.
  9. Mateus 19:16–22.
  10. Lucas 19:1–10.
  11. Lucas 23:1–4.
  12. Lucas 23:39–43.